Páginas: [1]   Ir para o fundo
Imprimir
Autor Tópico: COMUNICADO 2018-02_LIBERDADE DE EXPRESSÃO  (Lida 896 vezes)
0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.
PAPA LÉGUAS PORTUGAL
Sócio do CPA
Membro de Mérito
***
Offline Offline

Sexo: Masculino
Mensagens: 465

: Jan, 2010


Sócio Nº 1869


WWW
« Responder #1 em: 01 Mar 2018, 23:08 »

Sobre "O silêncio dos bons", artigo de opinião, a Direcção do CPA em 1 de Março de 2017 emitiu um Comunicado que pode ser lido no Portal do CPA e sobre o qual esclareço o que se segue
.
.
Saúdo e agradeço o Comunicado da Direcção do CPA de 1 de Março de 2018 que vem confirmar o teor do meu artigo de opinião “O silêncio dos bons” nomeadamente no que se refere aos seguintes pontos:

- “(…) que no nosso entender nunca deixou de existir ao longo de toda a Assembleia, tendo a mesma decorrido com toda a normalidade e onde todos os sócios se puderam manifestar sempre que o solicitaram, sem qualquer limitação de tempo. “, lê-se no comunicado

Efectivamente assim é, a Assembleia Geral prosseguiu com toda a normalidade porque a acção constrangedora, intencional ou não, da Vice Presidente da Assembleia Geral foi travada. Como afirmei, a Vice-Presidente da Mesa da Assembleia Geral teve relativamente a um sócio em concreto e ainda antes de este ter iniciado o uso da palavra, “aconselhado” o a ser breve e de uma tal forma que de imediato o associado prescindiu do uso da palavra. Foi de tal forma evidente este “incidente”, como o designa o comunicado da Direcção, que motivou no imediato o protesto de um outro associado presente na Assembleia.

- “Queremos publicamente prestar a nossa solidariedade à visada por considerarmos que nunca pôs em causa a liberdade de expressão e o pequeno incidente transcrito foi de imediato sanado com a sua intervenção em resposta ao associado que interpelou a Mesa, (...)”, lê-se no comunicado

Efectivamente assim é, a Vice-Presidente da Assembleia Geral nunca pôs em causa a liberdade de expressão de todos os associados, excepto de um, na medida em os constrangimentos se não colocaram a mais ninguém. Mas não há dúvida que a Vice-Presidente da Mesa da Assembleia Geral constrangeu a liberdade de expressão, intencionalmente ou não, ao condicionar o uso da palavra a um associado que, perante a pressão com que foi inesperadamente confrontado, considerou não ter condições para usar da palavra e dela prescindiu naquele ponto.

Concluindo:

1 – O “incidente” existiu;

2 – A vice Presidente da Mesa da Assembleia Geral pressionou, intencionalmente ou não, um sócio específico para que fosse breve, ainda antes de lhe dar a palavra e logo no início da Assembleia;

3 – O sócio pressionado sentiu que não tinha condições para intervir sobre o tema que ia ser discutido e prescindiu da palavra;

4 – Um outro sócio protestou contra a actuação da Vice-Presidente por entender que a pressão exercida fora inadequada;

5 – A Vice-Presidente prosseguiu a Assembleia sem sequer ter, depois do “incidente”, voltado a perguntar ao sócio que tinha prescindido do uso da palavra se pretendia intervir.

6 – O meu artigo de opinião pode ser lido no seguinte endereço:

http://papa-leguas-portugal.blogspot.pt/2018/03/o-silencio-dos-bons_1.html

« Última modificação: 01 Mar 2018, 23:09 por PAPA LÉGUAS PORTUGAL » Registado

Parar. Parar não paro.
Se a coerência custa caro,
Eu pago o preço.

(Citação livre de Sidónio Muralha)
*************
BLOGUE:     www.papa-leguas-portugal.blogspot.pt
EMAIL:        papa.leguas.portugal@gmail.com
infoCPA
Administrador
Hero Member
*****
Offline Offline

Mensagens: 1 339

: Dez, 2008



WWW
« em: 01 Mar 2018, 20:53 »

COMUNICADO 2018-02
LIBERDADE DE EXPRESSÃO


A direção do CPA foi surpreendida com o teor, e respetiva publicação, de uma crónica de um nosso associado, relatando o seu ponto de vista sobre um curtíssimo diálogo havido entre a Vice-Presidente da Mesa da Assembleia Geral, a presidir na ausência do titular, e o próprio.

Não têm as direções de se pronunciar sobre a condução das Assembleias Gerais, mas neste caso não podemos ficar indiferentes ao que agora foi tornado público.

Queremos publicamente prestar a nossa solidariedade à visada por considerarmos que nunca pôs em causa a liberdade de expressão e o pequeno incidente transcrito foi de imediato sanado com a sua intervenção em resposta ao associado que interpelou a Mesa, em "defesa da liberdade de expressão", que no nosso entender nunca deixou de existir ao longo de toda a Assembleia, tendo a mesma decorrido com toda a normalidade e onde todos os sócios se puderam manifestar sempre que o solicitaram, sem qualquer limitação de tempo.



CPA, 01 de março de 2018
A direção

« Última modificação: 01 Mar 2018, 20:55 por infoCPA » Registado

Associação Autocaravanista de Portugal - CPA
Portugal
Páginas: [1]   Ir para o topo
Imprimir
 
Ir para: