Páginas: [1]   Ir para o fundo
Imprimir
Autor Tópico: Carta enviada à direcção da Orbitur  (Lida 1655 vezes)
0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.
Paulo Moz Barbosa
Administrador
Membro de Mérito
*****
Offline Offline

Sexo: Masculino
Mensagens: 336

: Jan, 2010


Sócio 1882


« Responder #4 em: 18 Jan 2011, 00:16 »

Boa noite,
Quase um ano depois, houve alguma alteração à política defendida por este responsável da Orbitur?
Um abraço,
Registado

Paulo Moz Barbosa
(presidente da direção)

(viajo numa Hymer Camp 622 C)
Paulo Moz Barbosa
Administrador
Membro de Mérito
*****
Offline Offline

Sexo: Masculino
Mensagens: 336

: Jan, 2010


Sócio 1882


« Responder #3 em: 18 Mar 2010, 00:18 »

Caro João Firmino,

Parabéns pela sua missiva e respectiva divulgação.
Até novas informações sobre a atitude desse responsável da Orbitur, também eu ficarei de fora desses parques.
Assim se decidissem os verdadeiros autocaravanistas e algo poderia começar a mudar.
Registado

Paulo Moz Barbosa
(presidente da direção)

(viajo numa Hymer Camp 622 C)
jose_goncalves
Membro de Mérito
****
Offline Offline

Sexo: Masculino
Mensagens: 149

: Dez, 2007



« Responder #2 em: 17 Mar 2010, 09:24 »

Bom dia Companheiros e Companheiras,

Só quero deixar aqui uma questão que urge obter resposta.

Onde param esses "senhores" da "Autoridade da Concorrência", se é essa a sua designação correcta, onde param os agentes da autoridade para investigarem a sério todo o eventual tráfico de influências que possa existir neste mundo do Campismo?

Onde param?

Estarão "acampados"?

São apenas dúvidas que me parecem de resolução fácil, mas que não são resolvidas!!!!

Quem  estará a ganhar, o que estará por detrás desta maquinação que ninguém parece quer por travão???

Querem-nos ou não como parceiros comerciais, investidores naturalmente, por onde quer que passemos?

Se nos querem, porque nos escorraçam como cães?

Para quando esta gente começa a disitinguir o Campismo do Autocaravanismo?

E para quando também, e já agora, os autocampistas escolhem o "lado" onde querem estar? Ou dentro do Parque ou fora do Parque! É tudo uma questão de escolha, de Respeito, de Civísmo, de Regras!!!

Quando finalmente em Portugal for possivel assimilar e distinguir claramente as diferenças, acabar-se-ão certamente este tipo de actuações, impulsionadas por lobbys!

Até lá................

Até sempre,

José Gonçalves
(Guimarães)
Registado

José Gonçalves
Guimarães
http://ohotelrolante.blogspot.com
Decarvalho
Visitante
« Responder #1 em: 16 Mar 2010, 21:09 »

Ora vivam....

É muito importante o alerta a rebate do companheiro Henrique Fernandes, e o apoio que mereceu do amigo joao firmino, deste forum,  forum ao qual me associo tambem.

Permitam-me entao, que com toda a serenidade e tranquilidade exprima alguma reflexões sobre este tema.

Se as transcrições estao certas, isto é, se correspondem ao que efectivamente foi dito , ( e não resultam de lapsos frequentes do nosso jornalismo apressado) então, assumem uma gravidade de grande profundidade, e isto porque:

1)- o Sr. Manuel Dias ter-se-á expressado não apenas como dirigente da ORBITUR mas também como representante da AECAMP.
Se assim foi:
1-a) como dirigente da ORBITUR que tem uma influencia dominante no mercado, exerceu aquilo que os juristas denominam abuso da posição dominante, variante da figura abuso de direito.
1-b) como dirigente da AECAMP teria de de estar mandatado pelos seus associados, e embora estes sejam dominados pela esmagadora maoiria que a ORBITUR detem, não deixa de ser relevante levantar esta questão prévia.

2) nâo ha uma maneira correcta (legal) de prosseguir um finalidade errada (ilegal). Ou seja, as CM e as autoridades publicas não podem discriminar negativamente (como ja se escreveu neste forum multiplas vezes). E assim, não so em Portugal é inconstitucional violar o principio da não discriminação, e da proprocionalidade (entre outros) como em França, e em todos os paises em que se respeita o Estado de Direito Democrático, e tal ainda se verificou recentemente nos tribunais administrativos franceses quando condenaram os municipios de NICE; CANNES e La BAULE (e dia 18 a Newsletter blog vai referir-se a este facto).
Assim, querer pressionar as CM a tomarem uma atitude ilegal, e inconstitucional, e que viola a ordem democratica do Estado e de Direito e a Constituição, ate pode ser considerado crime face ao Código Penal, artº 335. (trafico de influencia)

Mas se as transcrições não estao certas, e resultarem de lapso ?Então cabe a Manuel Dias, precisamente por estar apresentado como porta voz da ORBITUR ( e esta ter posição dominante no mercado) e simultaneamente ser dirigente da AECAMP ( e esta ser parceiro social do sector do Turismo), esclarecer a situação, desmentir a informaçao, e corrigir as suas declaraçoes, e pedir desculpa ao movimento autocaravanista.

Alias é de estranhar tais declaraçoes porquanto o chamado valor a criar para os parques de campismo, so pode ser criado por estes, positivamente, através de uma politica de gestao inovadora, e de parceria com o movimento autoacravanista, como alguns ja em Portugal ( e claro que no estrangeiro em primeiro lugar) têm vindo a fazer..., por ex:
- criando tarifas para as autocaravanas qualquer que seja o numero de ocupantes
- criando tarifas mais baixas só para pernoitas (como ha em França negociadas pela Federaçao de Campismo)
- facultando o acesso à estação de serviços e abastecimentos apenas, no interior do parque de campismo, mediante uma taxa, mas sem obrigar a prenoita no parque).
- obtendo a sua certificaçao e recomendaçao por clubes de autocaravanistas.

Ora a ORBITUR ainda recentemente dera mostras de estar a trilhar um caminho responsavel, e por isso estas declarações surjem contra a corrente e a despropósito, embora nao admira que viessem do empresario campista de Tavira, e dos dirigentes da Federaçao de Campismo.

Ora veja-se uma noticia recente do MIDAP sobre a ORBITUR e que se transcreve:

O MIDAP vem deste modo informar a quem ainda não souber, que nos parques de campismo da Orbitur existem taxas apropriadas para "camper station".
A taxa de utilização das areas de serviço para despejar aguas cinzentas e negras e carregamento com agua limpa reje-se pela aplicação do valor de "visitante". Variam consoante o parque e a época do ano.
Preços praticados com valores entre os € 2,60 e os € 5,50 .
Até agora temos a indicação de 18 parques.
Estamos a colaborar com o CAS -Clube Autocaravanista Saloio que aplicará o nome dos parques, coordenadas GPS e preços na sua base de dados de AS' s para consulta de todos os autocaravanistas.
Preços divulgados no site: http://www.orbitur.pt/ na página de cada parque

Resta desejar boas voltas e reviravoltas de autocaravana, dentro ou fora dos parques de campismo, consoante as prefrencias ou necessidades de cada um, voluntariamente, e sem discriminações oficiais, ou pressionadas por entidades privadas....

Decarvalho, simplesmente.


PS ver tambem em:
IMPORTANTE DEBATE SOBRE PRESSÔES ANTI AUTOCARAVANISMO ITINERANTE

http://www.campingcarportugal.com/forum/viewtopic.php?t=3596&start=0&postdays=0&postorder=desc&highlight=
« Última modificação: 17 Mar 2010, 09:55 por Decarvalho » Registado
JRFIRMINO
Sócio do CPA
Membro de Mérito
***
Offline Offline

Sexo: Masculino
Mensagens: 115

: Out, 2006

Sócio Nº 550


« em: 16 Mar 2010, 19:30 »

Através do blog do nosso Companheiro Vitor Silva (Capitão Haddock, “Haddock on the road”), tive conhecimento da carta enviada pelo companheiro Henrique Fernandes à direcção da Orbitur.

Dado o interesse e a pertinência da mesma, tomo a liberdade de convidar os leitores deste forum a lê-la...


http://vitorsilva.blogspot.com/2010/03/carta-direccao-da-orbitur.html
Registado

João Firmino
Queluz-Sintra
Páginas: [1]   Ir para o topo
Imprimir
 
Ir para: