Páginas: [1]   Ir para o fundo
Imprimir
Autor Tópico: A quem interessar  (Lida 1756 vezes)
0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.
ULISSES
Visitante
« Responder #1 em: 17 Jan 2010, 20:42 »

Junto a segunda parte do texto:

 “Se consegues manter a cabeça quando toda a gente à tua volta perdeu a deles…”. Muito bem. Tem a situação sob controlo.
- 31.ª interv. Às 10,03h de 16/1/2010 Haddock insurge-se contra o silêncio da Direcção e do moderador. Pergunta: São permissíveis os ataques que se estão a verificar neste Fórum?  (Que ataques?) Apresentou citação de texto publicado por Ameneses. Acho despropositado. Impõe-se que a liberdade não seja só para os blogueiros - que também deve ser -, mas também para todos. Contraditar é a solução. Não é?
- 32.ª Interv. Às 11,11h de 16/1/2010 Manel, que não diz nada, porque o mais provável é não saber do que quer falar, apresenta um post inócuo.
- 33.ª interv. Às 13,25h de 16/1/2010 Volto a intervir. Agora, que me releio, arrependo-me de ter interpelado Ameneses de forma menos cordata. Se pudesse retirava esse parágrafo. Saiu. Entretanto, aproveitei a embalagem para imitar o companheiro Narciso e inserir umas quadras de sabedoria, respigadas do nobre António Aleixo: “Diz tudo quanto quiseres…”, porque enquanto não me responder com objectividade “só acredito o que quero”.
- 34.ª interv. Às 13,35h de 16/1/2010 Haddock vem a terreiro discordar da classificação de poeta “menor” que atribui a António Aleixo. Estava a fazer a comparação com um Nobel…
- 35.ª interv. Às 14,22h de 16/1/2010 DeCarvalho posta uma imagem de cumprimentos.
- 36.ª interv. Às 15,02h de 16/1/2010 Jamor diz-se incomodado por lhe parecer “lamentável” que o Fórum “sirva para este tipo de ataques pessoais”. Recomenda: RESPEITEM-SE. O Exmo. Convidado do CPA atreve-se a meter a colherada num assunto que não lhe diz respeito. Pergunto: isto não é falta de respeito?
- 37.ª interv. Às 15,12h de 16/1/2010 Majv cita Jamor e acrescenta: “uma nova batalha de Aljubarrota”… Este é sócio e é desinteressado pelo que se passa, pois, não diz nada sobre o assunto que se está a tratar! Mas que grandes sócios!
- 38.ª interv. Às 15,16h de 16/1/2010 Ameneses com nova intervenção que não acrescenta nem retira nada ao que estamos a tratar.
- 39.ª interv. Às 15,23h de 16/1/2010 Ameneses com mais uma intervenção que nem refiro.
- 40.ª interv. Às 16,05h de 16/1/2010. Intervenho de novo. Estou amofinado, nesta altura. Alvitro a Jamor que este assunto, AG, pertence aos sócios. A Ameneses reconheço capacidade para discutir a questão AG; aliás, foi o único que teve capacidade para levantar, primeiro, a questão  do  disparate de um novíssimo sócio impor, desde o primeiro momento de associado, condições. Ao Majv desafiei para que colaborasse.
- 41.ª interv. Às 16,46h de 16/1/2010 Majv interpela-me: que tem direito à opinião. Pois tem. Mas que opinião? Ele não deu nenhuma. Não saberá. Diz que não volta ao assunto e parece-me bem. Acho mal que um sócio não tenha opinião.
- 42.ª interv. Às 16,58h de 16/1/2010 Haddock apresenta a sua opinião: As eleições estão convocadas e têm data. No entanto, admite que “talvez tenham de ser adiadas”.
- 43.ª interv. Às18,24h de 16/1/2010 Volto a intervir para explicar tim-tim-por-tim-tim o meu ponto de vista: o que acho é que PapaLéguas devia apresentar uma candidatura. Aquela do “D. Sebastião, chegado das campanhas contra o mouro”, até ficou mesmo bem! Gosto.
- 44.ª interv. 16/1/2010 Haddock, confessa que não teve pachorra para ler o “folhetim” do PapaLéguas, mas louva o trabalho (mesmo sem o conhecer). E aceita que a proposta de adiar a eleição, se votada e aceite, estará bem. É o que ele diz. E diz mais: “deploro o ensurdecedor silêncio da actual Direcção e do moderador”. Eu subscrevo.
- 45.ª interv. Dia 16/1/2010 Majv denuncia-se como um não sócio porque não pagou as quotas, nem vai pagar. Diz que tem motivos: guerras, intrigas… E dá opinião. Leia quem queira. Parece-me que só deve tratar deste assunto a quem diga respeito.
- 46.ª interv. Às 19,37h de 16/1/2010 Ameneses com um texto que acho deplorável, em todos os sentidos. Ele que me merece consideração, por ter sido o primeiro a tomar posição.
- 47.ª interv. Às 19,41h de 16/1/2010 DeCarvalho numa intervenção inteligente, sem palavras. Interroga.
- 48.ª interv. Às 20,15h de 16/1/2010. Sou, de novo, instado a intervir porque Haddock tem toda a razão em manifestar o seu espanto por a Direcção e o moderador não se manifestarem. Para além disso faço reparos, dentro de toda a correcção (julgo eu), sobre as intervenções a que não assistimos. Nem uma! E afirmo apoiar os propósitos de PapaLéguas.
- 49.ª interv. 16/1/2010 ZELSA, convidado do CPA, descaradamente, mete colherada no assunto que não lhe diz respeito. Esta liberdade é um abuso da liberalidade do CPA. Acho eu. Embora a intervenção do senhor seja correcta. Se este assunto estivesse a ser tratado dentro de portas…
- 50.ª interv. Às 22,30h de 16/1/2010 Ameneses, de novo, citando uma intervenção minha, declara BASTA. Pronto.
- 51.ª interv. Às 22,47h de 16/1/2010 Viajante volta a intervir. Acha que há muita “verborreia incontinente e avassaladora” neste Fórum. Vai continuar atento, quedo e mudo. Para que conste. Não quer ter culpas, como todos os outros, que não chegaram a dizer nada.
- 52.ª interv. Às 23,06h de 16/1/2010 Ameneses, que tinha dito BASTA, volta para, aqui, cumprimentar o amigo Viajante e debitar um dos pensamentos que respiga de outros… Nada que não se suporte.
- 53.ª interv. Às 00,01h de 17/1/2010 Chega a vez de PapaLéguas: “Questões pertinentes – a verdade a que temos direito”. O título da lauda assusta. Começa a debitar: “Confrontado logo no próprio dia… vi-me perante afirmações…” e é um ver-se-te-avias de frases respigadas das intervenções de Ameneses e mim próprio e é um nunca mais acabar.

Bom! Mau... mau!... Vitimizar-se não!...
Afinal sabia ou não ao que vinha? Geriu o seu tempo a seu bel-prazer, não deu troco a nenhuma interrogação apresentada, logo após ter postado a sua “Proposta” no dia 5/1/2010, às 00,02h, apresentei interrogações e critiquei a atitude. Ora o que aconteceu é que preferiu entrar em gestão dos despropósitos que, previsivelmente, esperava. Agora, num longo, anódino, esquemático texto, aproveitando o que lhe conveio dos textos que foram produzidos durante estes largos dias apenas encontra “ferroadas” de DOIS intervenientes. Aproveita-os à exaustão. Vitimiza-se. A que propósito? Estas são técnicas muito usadas por certos personagens que me merecem o mais veemente repúdio. Não quero, sequer, pensar que este companheiro PapaLéguas seja um manipulador, um demagogo. Mas desde já lhe digo que me parece mal esta postura. Fique claro que, apesar de não ter tido oportunidade de ver as opiniões de mais de UM companheiro, fico com a convicção de ter feito o que devia. Detesto intrusos. Detesto manipuladores. Detesto os que se vitimizam.

E não gostei de estar a falar quase sozinho. Esta Assembleia que usa o Fórum… Estes poucos que acompanharam a discussão, que compromissos terão para não se pronunciarem? Ou terão outra sabença?
Se os sócios do CPA forem todos deste calibre, coitado do CPA. Tenho esperança que, fora do Fórum, entre as centenas de sócios, haverá gente de qualidade. De certeza há-os entre os autocaravanistas que não estarão no CPA.

Cumprimento todos
Armindo Santos
« Última modificação: 04 Fev 2010, 14:05 por teresa paiva » Registado
ULISSES
Visitante
« em: 17 Jan 2010, 20:41 »

Companheiros

Entendi ser meu dever intervir na questão da AG, na sequência da apresentação da "Proposta" do novíssimo companheiro PapaLéguas. Secundei o companheiro AMENESES, que teve a primeira reacção e atitude. Claro que achei essa "Proposta" um desaforo e foi o que disse sem ser contraditado.
Neste momento o que penso é que é uma vergonha para o CPA, não a nossa intervenção, que acho ser, para além do mais, um dever cívico, mas a dos sócios que não tiveram nível, ou outra coisa qualquer para discutir o assunto.
Leiam:
A quem interessar

Sobre AG - Eleições.
- Após a apresentação da Proposta de PapaLéguas, em 5/1/2010, às 20,51h, surge, às 21,21h a primeira  intervenção sobre o assunto, por Ameneses, que interpela o autor da proposta: “Se levou tanto tempo a reflectir… teve tempo de formar uma lista própria para concorrer…”
- 2.ª interv., no mesmo dia, às 22,14h. Espanto dos espantos: Teresa Paiva , vem em socorro de PapaLéguas, tomando partido: “Desplante nenhum”, direitos são direitos. Nunca mais ninguém deu por ela.
- 3.ª interv. Pelas 22,20h, desse mesmo dia, avanço com a minha primeira intervenção, com encómios e críticas à apresentação da “Proposta” de PapaLéguas.
Relendo o meu texto voltava a subscrever o que então disse. Apresento interrogações, e também, as boas vindas, para além de expor, ao público interessado, que considero capcioso (insinuante, só porque é mais brando), esta “Proposta”. É um despropósito em si mesma, entendi e continuo a entender. Para mim só a apresentação de uma candidatura justificava a “Proposta”, e continua a justificar.
- 4.ª interv. Às 23,43h, de 5/1/2010, Viajante intervém com uma conversa a desconversar… (digo eu para os meus botões) E daí saiu fumo. A caça?!... Não foi encomendado este despropósito?
(Não conheço nenhum dos intervenientes. Não digo que me merecem respeito, nem que não merecem. Sou avaliador de obras).
Para além da indignação, que o outro diz ser um direito e eu digo que é um sentimento, não me move nenhum compromisso. A minha intervenção é pessoal, exclusivamente. Considero uma obrigação de cidadania.
- 5.ª interv. Às 08,27h de 6/1/2010 José Gonçalves, que debita um fraseado sobre as “novas” pessoas e apoia o interveniente anterior acrescentando a frase feita “há que separar o trigo do joio”. Acho de um “nivelaço” aquela treta, mas… muito propositada.
- 6.ª interv. Às 12,05h de 6/1/2010 Manel discorre bem: “lamentamos que o fórum caia no marasmo…”. Mas, acha, em substância, o que o anterior autor acha. Elucidativo, ou não. Pode ser só ignorância… Não querer ferir susceptibilidades.
- 7.ª interv. Às 19,00h de 6/1/2010 Declaração de PapaLéguas: “Sou sócio do CPA”, onde declara ir enviar à Mesa da Assembleia Geral, a “Proposta”, já conhecida, acompanhada de cinco-documentos-cinco.
- 8.ª interv. É de Ameneses e reforça a ideia de que PapaLéguas deve avançar com uma lista. O que arengou a mais não interessa para o caso, digo eu.
- 9.ª interv. Às 00,01h de 7/1/2010 PapaLéguas apresenta o seu “manifesto” (digo bem?): “Definir para decidir”.
- 10.ª interv. Às 00,001h de 8/1/2010, de novo PapaLéguas, que inicia as suas aparições da meia-noite (desaforo ou constatação?), a apresentar: “O futuro justifica um referendo”. Exposição formal, português escorreito. Ali escreve que os “Estatutos feitos há vinte anos…”. Ora, só por distracção se pode afirmar uma coisa destas, porque os Estatutos são de 2004! E apresenta a ideia substantiva: “justifica-se uma consulta referendária… autocaravanismo ou campismo”. E eu acho isto um despropósito. A Assembleia não contempla este assunto. Há uma Ordem de Trabalhos.
- 11.ª interv. Às 13,11h de 8/1/2010. Pela segunda vez venho ao Fórum dizer que a proposta de PapaLéguas, quanto à definição de objectivos do CPA é relevante. Bem como também manifesto ser relevante “organizar uma estrutura organizativa”, como propõe PapaLéguas. Avanço, até, com a ideia de o CPA institucionalizar o Secretário-Geral. Texto escorreito, sem floreados nem imagens de retórica, com uns pozinhos de doutrina sobre o uso da autocaravana.
Tinham passado três dias sobre a apresentação da “Proposta” (fanfarrona - o adjectivo é da minha lavra) e sobre a minha intervenção, que não mereceu nenhuma reacção da parte de PapaLéguas às dúvidas e reticências que apresentei.
Pergunto-me: foram ultrapassados limites de decoro, de decência, de respeito? Então a lucubração dos outros não merece resposta?
- 12.ª interv. Às 17,32h de 8/1/2010 Haddock apresenta uma citação de Ameneses a que junta considerações a despropósito. Lenha para a fogueira foi o que foi. Porventura não seria esse o interesse?  Mas ficam no ar alusões que não entendo, nem, para já, procuro entender.
- 13.ª interv. Às 21,36h de 8/1/2010 PapaLéguas, indiferente a todos, dando mostras de desprezo despudorado (sem vergonha, quero dizer) pelas intervenções – SÉRIAS -, até aqui apresentadas.
- 14.ª interv. Às 22,53h de 8/1/2010 Ameneses reage à intervenção de Haddock, com conversa da treta e, claro, sempre com algumas frases insinuantes, significativas e a despropósito.
- 15.ª interv. Às 23,14h de 8/1/2010 Majv interpela Haddock e Ameneses com objectivo apaziguador, como se houvesse guerra… para além da caça que Vigilante tinha denunciado…
- 16.ª interv. Às 23,54h de 8/1/2010 Ameneses escreve um texto sobre nada…
- 17.ª interv. Às 00,05h de 9/1/2010 Majv volta à carga para falar de questões pessoais! Imaginem: o Fórum também serve para isso, mas, nos locais apropriados! Não será assim?
-18.ª interv. Às 00,02h de 10/1/2010 PapeLéguas, na sua postura de não olhar para o lado, apresenta, em continuação, mais um capítulo do seu “manifesto”: “Mudar é o caminho”. Rebéu-béu-pardais-ao-ninho (figura de retórica que configura: disse muito, muito…).
- 19.ª interv. Às 00.02h de 11/1/2010 PapaLéguas apresenta: “Assumir a dimensão histórica do Clube”. Entretanto nem uma palavra sobre o que se passava no Fórum.
- 20.ª interv. Às 00,03h de 12/1/2010 PapaLéguas apresenta “A actual Direcção é consciente e responsável” (Eu pergunto: é?). Os considerandos que apresentou não aquentam nem arrefentam  (daquelas frases feitas). Relativamente às intervenções que eu fiz e fez Ameneses, nada!
Porque apenas Ameneses e eu próprio – registo  -, apresentamos interrogações, num espectro de meia dúzia de posts editados, até aqui. Isto não é um Fórum é um deserto.
- 21.ª interv. Às 22,12h de 12/1/2010 Ameneses alerta para os Estatutos. E muito bem.
- 22.ª interv. Às 00,11h de 13/1/2010 PapaLéguas: “Mudar para desenvolver”, mais uma página do folhetim a que junta documentos a dar c’um pau (figura de retórica) a, pedagogicamente, orientar como devem ser orientados os trabalhos da AG, que propôs.
- 23.ª interv. Às 00,45h de 13/1/2010 Ameneses apresenta uma versão a corrigir, ou lá o que queria, uma outra antes publicada. Nada relevante para o caso.
- 24.ª interv. Às 00,03h de 14/1/2010 PapaLéguas debita novo capítulo: “A força dos associados”.
- 25.ª interv. Às 00,02h de 15/1/2010 PapaLéguas com novas regras: “Aos associados cabe a decisão final”. Faz bem em lembrar. Lembrar-se de responder às interrogações para apaziguar os interrogadores, nada.
- 26.ª interv. Às 03,29h de 15/1/2010 Détinha interpela o companheiro Narciso (finalmente fico a saber quem usa o nickname PapaLéguas): porque trata da questão da AG noutro blogue que nada tem a ver com o CPA. De forma branda, civilizada. Tudo nos conformes.
- 27.ª interv. Às 14,28h de 15/1/2010 Haddock vem a terreiro (figura de estilo) defender os autores de Blogues, porque, liberdade é liberdade. E não é?
- 28.ª interv. Às 16.05h de 15/1/2010. Aqui entro eu de novo. É que, desde o dia 5/1/2010 até este dia não apareceu, para além de Ameneses, ninguém a tratar de forma INTERESSADA o assunto que PapaLéguas desplotou: adiar a AG na parte das eleições. Nesta intervenção sou bem explícito. Em todo o texto que ali produzi interessa a pergunta: porque não apresentou uma candidatura com programa, com esta ambição, para as eleições que estão marcadas? É querer saber muito? Há alguma leviandade, afronta, desrespeito, no que ali publico?
- 29.ª interv. Às 23,15h de 15/1/2010 Ameneses apresenta um texto que acho impróprio, tecendo acusações veladas, a torto e a direito, que não se enquadram, de todo, no contexto em que o assunto deve ser tratado. Achei muito mal.
- 30.ª interv. Às00,05h de 16/1/2010 O companheiro Narciso, numa manifestação de bom gosto, de cultura e aproveitamento promocional… (isto é inventado, tretas para amenizar o texto), ofereceu-nos o poema, magnífico, (adjectivo da minha lavra) “If”, de Rudyard Kipling.
« Última modificação: 04 Fev 2010, 13:55 por teresa paiva » Registado
Páginas: [1]   Ir para o topo
Imprimir
 
Ir para: