Páginas: 1 [2] 3   Ir para o fundo
Imprimir
Autor Tópico: nova portaria sobre autocaravanismo  (Lida 27784 vezes)
0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.
edurana
Membro de Mérito
****
Offline Offline

Sexo: Masculino
Mensagens: 97

: Set, 2008



« Responder #46 em: 18 Nov 2008, 14:45 »

Companheiros:
Aqui deixo o meu humilde comentario sobre esta portaria. Se bem a leio, nada me proibe de utilizar os parques de campismo, nem as AS, nem ainda estacionar na via pública. Fico satisfeito por saber que têm de nos prestar um melhor serviço, e que está devidamente regulamentado. Mas o problema e a luta principal não é esta, a luta que cada um terá de participar é junto das Camaras Municipais para: 1º não descriminar o veiculo «autocarava», e 2º:  tentar meter-lhes na cabecinha que este turismo que fazemos é um bem para o comercio local, e para o turismo local. Porque não se formar pequenas comissões por area de residencia e solicitar reuniões nas respectivas Camaras Municipais. Por vezes é olhos nos olhos que as coisas se resolvem.
Peço desculpa se este comentário não for constrituvo, mas é o que penso
Saudações companheiros
Registado

Eduardo Rana
Seixal
nunor
Visitante
« Responder #45 em: 18 Nov 2008, 14:45 »

Polémica??!!! Mas que polémica?

Apresentar a nossa interpretação, expôr os nossos argumentos, debatê-los e contrapô-los, é sinónimo de polémica?Huh


É muito interessante que o MIDAP aqui tenha vindo afirmar a sua concordância e sua anuência a este  modelo de Área de Serviço apresentado nesta portaria. Quando daqui a uns tempos os autocaravanistas forem remetidos para este tipo de infra-estruturas, já sabemos a quem devemos pedir explicações...
 
Já agora gostaria que o MIDAP aproveitasse a oportunidade e apresentasse aqui as razões porque defende este tipo de AS, o projecto técnico e a quem ela se destina? Será que é ser muito polémico ter o atrevimento de questioná-los sobre estes pequenos pormenores?

Nuno Ribeiro
Registado
MIDAP
Visitante
« Responder #44 em: 18 Nov 2008, 13:35 »

Caros Autocaravanistas

Não pretendemos entrar na polémica  do sr. Nuno Ribeiro.
A nossa interpretação é exactamente oposta da que o sr. Nuno Ribeiro tem.
Quanto ao papel que o Midap teve no reconhecimento do Autocaravanismo como actividade autónoma, na definição de Áreas de Serviço e Estações de Serviço, na clara definição de que poderá haver áreas de serviço fora de parques de campismo e que as regras dos parques se aplicam às Estações de Serviço com  as “necessárias adaptações”, foi igual ao de tantos outros que solicitaram ao legislador o “repensar” da portaria.
Nada mais.
Não assumimos vitórias nem derrotas mas apenas trabalhamos para mais um pequeno passo favoravel no Desenvolvimento do Autocaravanismo.em Portugal

Registado
Decarvalho
Visitante
« Responder #43 em: 18 Nov 2008, 12:01 »

vivam

grato pelo 100% de acordo do final do ultimo post.
As autocaravanas que não sejam usadas para fazer campismo nada tem a ver com esta portaria, e não tem pois que estar nos parques de campismo, ou areas de serviço para campismo.

 Wink
« Última modificação: 18 Nov 2008, 12:04 por Decarvalho » Registado
nunor
Visitante
« Responder #42 em: 18 Nov 2008, 11:19 »


Curiosa definição... AS de campismo!!!!! que não está de acordo com a actual portaria. Se assim fosse, teria sido mantido o artigo 26º do projecto de portaria:

"Artigo 26º
Parques de caravanismo exclusivamente destinados a autocaravanas
1 - Nos parques exclusivamente destinados a autocaravanas pode ser dispensada a existência dos equipamentos de utilização comum previstos no artigo 11.º, salvo os previstos nas alíneas a) a c) do número 1 e no número 3 do mesmo artigo.
2 – As áreas de serviço previstas no número 4 do artigo 11º são obrigatórias nos parques de caravanismo exclusivamente destinados a autocaravanas.
3 - As estações serviço referidas no número 3 do artigo 11º devem estar revestidas com materiais impermeabilizados e dispor de equipamento próprio para:
a) Escoamento de águas residuais;
b) Esvaziamento de WC químico/Sistema de lavagem e despejo de cassetes sanitárias de autocaravanas;
c) Abastecimento de água potável;
d) Despejo de resíduos sólidos urbanos."

A alteração de parque de caravanismo para espaço revela a preocupação em abarcar também as AS fora de parques de campismo e que estavam a fugir da alçada dos proprietários dos parques de campismo. Um exemplo, claro é o que se passou em Coimbra. A AS que esteve para ser construída junto ao Parque da Canção só iria para a frente se fosse gerida pela mesma empresa que geria o parque de campismo municipal...


(...)Ora,  a portaria não proibe o estacionamento, nem  a pernoita de autocaravanistas fora dos parques de campismo, nem fora das areas de serviço, nem induz de modo algum a obrigatorieddae de uso daquelas infraestruturas pelas autocaravanas(...)

Totalmente de acordo, a portaria não proíbe, mas indica o local onde as autocaravanas devem estar.....
Um pormenor que faz toda a diferença....
Registado
Decarvalho
Visitante
« Responder #41 em: 18 Nov 2008, 10:22 »

Ola Ana Pressler...
e demais interessados por ideias e ideais de autocravanismo.

esqueci-me de  sublinhar que as AS da portaria se destinam a pratica de campismo fora dos parques de campismo por autocaravanas...ou a portaria seja regula, como tentei explicar o lado da oferta e isto naquilo que sejam relaçoes juridicas de campismo....e portanto das respostas possiveis para a pratica de campismo....e que se refere a:

a) autocaravanas que façam campismo  nos parques de campismo
b) autocaravanas fora dos parques de campismo, em AS de campismo

Claro que fica de fora o estacionamento de autocaravanas..e a pernoita que nao envolva campismo. Por ex. este tipo de utilizaçao nas auto-estradas não pode ultrapassar as 12h sob pena de pagamento de nova portagem, nos demais casos ha que recorrer ao codigo da estrada, e mais legislação (actual e a elaborar) etc etc...

Ora,  a portaria não proibe o estacionamento, nem  a pernoita de autocaravanistas fora dos parques de campismo, nem fora das areas de serviço, nem induz de modo algum a obrigatorieddae de uso daquelas infraestruturas pelas autocaravanas, o que alias desconheço se interessa  a proprietarios de parques de campismo, a AECAMP ou a Federação de Campismo....mas decerto interessa ao tema que se trata aqui e que é o autocaravanismo.

Ciao, boas voltas e reviravoltas inclusive dos neuronios !
« Última modificação: 18 Nov 2008, 10:29 por Decarvalho » Registado
nunor
Visitante
« Responder #40 em: 18 Nov 2008, 00:32 »

Boas noites

Quando o assunto abordado diz respeito a questões legislativas, de facto, não basta ler, é preciso, também, interpretar o que se lê.
É claro que dependendo de muitos factores esta interpretação pode ser mais ou menos acertada. Por exemplo se formos um simples autocaravanista podemos interpretar o artigo 29º da portaria 1230/2008 como o passo que faltava para legitimar determinadas pretensões discriminatórias de algumas câmaras municipais. Se por outro lado tivermos interesses comerciais e/ou económicos, como por exemplo, se formos proprietários de parques de campismo, vamos interpretar esta lei como uma prenda adiantada de Natal.....

Esta portaria regulamenta um determinado tipo de empreendimentos turísticos que todos conhecemos bem, os parques de campismo e caravanismo, onde podemos ter lado a lado diversos tipo de "instalações", como as tendas, reboques, caravanas e autocaravanas.

Esta portaria faz e bem a enumeração das condições necessárias que devem existir num parque de campismo e caravanismo, como a classificação, a localização, os acessos, os abastecimentos de água e luz, instalações sanitárias e equipamentos de utilização comum, entre outros.
Descreve também especificamente para os parques de campismo que queiram receber caravanas e autocaravanas, a obrigatoriedade de possuirem estações de serviço, que habitualmente aqui designamos por áreas de serviço. Até aqui podemos considerar esta portaria como irreprensível. Contudo chegados à SUBSECÇÃO II, vamos encontrar este título:

Espaços destinados exclusivamente a autocaravanas

Esta designação no projecto de portaria surgia como Parques de caravanismo exclusivamente para Autocaravanas, e que claramente indicava um parque de campismo só para autocaravanas, é substituído por uma denominação que abarca todas as zonas (quer sejam dentro ou fora de um parque de campismo) onde podemos ter infra-estruturas para o autocaravanismo.

Ou seja, o legislador indica objectivamente que o autocaravanismo deve ser encarado como mais um tipo de instalação usada para se praticar campismo, esquecendo que o autocaravanismo é também turismo itinerante....

Se ainda restam dúvidas basta ler alínea 2 do artigo 29º:


2 — As áreas de serviço que não se encontrem integradas em parques de campismo e de caravanismo ficam obrigadas apenas ao cumprimento do disposto nos artigos 7.º, 8.º, 10.º, n.os 1, 2, 3 e 5, 12.º, 14.º, 20.º e 24.º a 26.º da presente portaria, com as necessárias adaptações.

Ou seja, as nossas conhecidas áreas de serviço que tanto reclamos e cujo projecto técnico figura no site do CPA, como por exemplos as AS da Batalha e de Abrantes vão ter cumprir APENAS o disposto nos artigos 7.º, 8.º, 10.º, n.os 1, 2, 3 e 5, 12.º, 14.º, 20.º e 24.º a 26.º da presente portaria, com as necessárias adaptações.... 

E o que dizem estes artigos, em especial os artigos 8º e 20º?

As áreas de serviço destinadas ao estacionamento e pernoita vão ter que ser delimitadas com vedação (artigo 8º) e terão que ter uma recepção (artigo 20º).

A AECAMP e a Federação não poderiam ter maior prenda de Natal....

Claramente os munícipios que até agora se refugiavam nos regulamentos municipais de trânsito para proibirem a nossa permanência em determinadas locais, vão poder utilizar mais esta "arma" de argumentação que as autocaravanas deverão ir para as áreas de serviço de acordo com o artigo 29º.....Não será amanhã, nem daqui a um mês, mas a curto prazo , à medida que os municípios "descobrirem" esta pérola legislativa, não a irão  desperdiçar.

O estranho é que do projecto para a portaria final se tenha mudado tanto...
A questão que aqui coloquei na minha primeira intervenção foi clara e objectiva. Até que ponto as considerações e as tomadas de posição do MIDAP influenciaram esta mudança abrupta no sentido penalizador dos autocaravanistas que enveredam pelo turismo itinerante?
 
Muito certamente o Decarvalho virá aqui mais uma vez com o mesmo número de sempre, martirizar-se de modo a desviar a conversa e afastar quem não pensa pela mesma bitola...É que ainda há alguns meses atrás a AECAMP no seu discurso de início de mandato dizia claramente, as Autocaravanas para os parques de campismo e parece que o conseguiu, mais rapidamente do que esperava....

Nuno Ribeiro
 
Registado
Decarvalho
Visitante
« Responder #39 em: 17 Nov 2008, 20:18 »

Viva Ana Pressler....

Que bom ler uma dúvida e um comentario inteligente sem ser logo ameçado...agora, com palmatoria....

Ora bem, a intervençao do MIDAP e de outros pareceres que foram chegando ( e sendo lidos pelas autoridades) foram essenciais para algum progresso registado, e que por isso mesmo favorece a comunidade autocaravanista.

O decreto-lei base inicialmente foi objecto de proposta pelo governo de uma unica portaria de regulamentaçao que punha no mesmo saco, alojamento rural (edificado) e alojamento ao ar livre (parques de campismo). Esta solução foi considerada negativa durante a discussao publica e assim foram elaborados dois projectos de portaria distintos, um para cada area, o que é metodologicamente correcto.

Interessa-nos agora, a portaria acabada e publicar, e aqui, qualquer observador mediano reconhecera que ela se dirige a regulamentar a oferta de alojamento, e nao à procura, isto é aos consumidores de alojamentos.

O MIDAP e outros agentes que defendem construtivamente uma politica de autocaravanismo, na alura, teceram varias consideraçoes para ponderaçao do Governo, e solicitaram uma suspensao da publicaçao da versao da portaria que foi divulgada.

Em boa hora o fizeram e foram ouvidos a 100% !
- a portaria nao foi publicada como se propunha o Governo, foi suspenso e adiado o processo de aprovaçao, e so agora publicada, e com algumas correcções de relevo, por exemplo:

- ficou assente, que do lado da oferta, os parques de campismo que desejem receber autocaravanas têm que preencher determinados requistos minimos, que redundam em beneficio dos autocravanistas.

- ficou ainda definido que, do lado da ofertahavera  a possibilidade de acolher autocaravanas em estruturas novas (artº29º) denominadas areas de serviço...

Em lado algum se regulamenta o lado da procura ou seja o dos autocaravanistas que não ficam compelidos a utilizar nem só parques de campismo nem mesmo e só, as tais areas de serviço....A materia de estacionamento de autocaravanas esta regulada dispersamente em varis outros diplomas...no Código da Estrada tambem....

Nem podia ser. De facto o decreto-Lei em causa, agora regulamentado, não tinha por objectivo regualmentar a procura, logo tambem esta nao podia ser definida em sede regulamentar. Isto é, quem não pode o mais, também naõ pode o mesmo...é uma questão naõ apenas de hierarquia juridica, mas de lógica e bom senso comum.

Esta inovaçao- haver legislaçao que regula a oferta em parques de campismo e em areas de serviço para acolher autocaravanistas, é de um enorme alcance para se começar a avançar na questao crucial que se coloca ao autocaravanista: o estacionamento e a pernoita, para alem dos serviçso de que carece.
Pense-se por exemplo no relatorio da CCRDA  (algarve) certamente que esta portaria vai fazer com que se alterem as conclusoes e propostas prospectivas...e vai abrir um novo capitulo nas relaçoes entre a CCRDA e, por exemplo, as Camaras Municipais, Administrações e Capitanias de Portos, e outras entidades autónomas...
agora, podem criar AS para autocaravanas com base legal!

Não se pode de modo algum concluir que face a um diploma que regula a oferta, se conclua que a procura (autocaravanistas) estao impedidos de estacionar e pernoitar fora de campings ou das novas AS....Não é preciso fazer de papão, e querer assustar os autocaravanistas!

O que há a fazer, é prosseguir com a estruturaçao institucional do autocaravanismo, serenamente, e com capacidade que gere credibilidade e respeito, e contribuir sériamente, para que a consciênca critica sobre o tema ganhe aliados de peso, mais interlocutores, e decisores informados que tomem as deliberaçoes justas, e ate como exemplos ja em aplicaçao em França, e Espanha...como todos sabemos.

Espero não ter complicado, mas descomplicado, o que aliás é limpido....
« Última modificação: 17 Nov 2008, 20:28 por Decarvalho » Registado
pressler
Visitante
« Responder #38 em: 17 Nov 2008, 17:40 »

Boa tarde!

Então o Artº 29 não chegou a ler?
Regulamenta uma Area de Serviço para autocaravanas fora dos parques de campismo, indicando que podem ser areas de serviço e pernoita!!!
No maximo de 72 horas....

Parece que já não somos obrigados a ir para os parques de campismo!
Ou será que eu não interpretei bem?
Se calhar é por não estar muito abituada a estas coisas dos D.R e dos Dec.Lei...
Ana Pressler
Registado
nunor
Visitante
« Responder #37 em: 17 Nov 2008, 11:35 »

Vivam visitantes, e membros do forum...

Para leitura e reflexao aqui ficam reproduzidos dois articulados (artº 11 e art 26º) da portaria que esta em preparaçao e vai regulamentar a lesgislação de Março de 2008 sobre parques de campismo.

Vivam Acs

aqui vai uma imposição para os parques de campismo prevista da ultima versao da portaria para o sector ainda em estudo

artº11º
.......
– Os parques de campismo que admitam caravanas e/ou autocaravanas devem dispor de estações de serviço na proporção de uma para cada 30 caravanas e/ou autocaravanas, localizada em zona do parque de fácil acessibilidade, e com as características previstas no nº 3 do artigo 26º.
4 - Os parques de campismo e/ou caravanismo podem dispor de uma zona plana e reservada ao estacionamento de autocaravanas não superior a 72 horas, com acesso aos serviços e equipamentos disponíveis no parque.


Artigo 26º
Parques de caravanismo exclusivamente destinados a autocaravanas
1 - Nos parques exclusivamente destinados a autocaravanas pode ser dispensada a existência dos equipamentos de utilização comum previstos no artigo 11.º, salvo os previstos nas alíneas a) a c) do número 1 e no número 3 do mesmo artigo.
2 – As áreas de serviço previstas no número 4 do artigo 11º são obrigatórias nos parques de caravanismo exclusivamente destinados a autocaravanas.
3 - As estações serviço referidas no número 3 do artigo 11º devem estar revestidas com materiais impermeabilizados e dispor de equipamento próprio para:
a) Escoamento de águas residuais;
b) Esvaziamento de WC químico/Sistema de lavagem e despejo de cassetes sanitárias de autocaravanas;
c) Abastecimento de água potável;
d) Despejo de resíduos sólidos urbanos.


Podera dizer-se que é, em Portugal a primeira regulamentação legal sobre autocaravanismo, e por isso mesmo peca por insuficinete.

Nada se diz sobre areas de serviço de AC
areas de pernoita de AC
parques de estacionamento de autocaravanas.

Talvez porque seria tema OFF topic da portaria, esta visa regulamentar um diploma sobre parques de campismo e nao sobre as realidades fora dos parques de campismo...

Mas, talvez seja oportuno pensar no regime fora dos parques de campismo...


Bons dias

Se a memória não me atraiçoa, este projecto de portaria foi o mote para a formação do MIDAP, cujo primeiro objectivo seria colaborar na redacção desta nova portaria, fazendo lobbying para que houvesse uma equivalente para as AS fora de parques de campismo. Erro de palmatória, uma vez que este projecto dizia respeito apenas a parques de campismo. A associação ao autocaravanismo só traria (trás) mais confusões e implicitamente estamos a reduzir o autocaravanismo apenas a mais uma modalidade do campismo.

Hoje saiu a versão final desta portaria, (http://www.dre.pt/pdf1sdip/2008/11/22300/0799207998.PDF).
Regulamenta e bem as áreas de serviço dentro dos parques de campismo, que se designam por Estações de Serviço, obrigando os parques de campismo a construirem estas áreas se quiserem receber as caravanas  autocaravanas.

Contudo o diploma final deixa cair a designação de Parques de caravanismo exclusivamente para autocaravanas, ou seja, o autocaravanismo como modalidade de campismo, para passar à designção de Espaços destinados exclusivamente a autocaravanas, passando deste modo a englobar também a vertente turismo itinerante.  O poder central não podia ser mais claro na mensagem que faz passar. Para o Estado o autocaravanismo deve ser encarado como, e apenas e só isso, uma modalidade do campismo. Ou seja, o diploma final é bem pior do que o projecto apresentado.....

A que se deveu esta mudança para pior? Terá sido a intervenção do MIDAP?

Nuno Ribeiro
Registado
Decarvalho
Visitante
« Responder #36 em: 17 Nov 2008, 11:05 »

Vivam

saiu a portaria 1320/2008, hoje dia 17 de Novembro
e o que diz de essencial e novo?
Artigo 29.º

Áreas de serviço

1 — São áreas de serviço os espaços sinalizados que

integrem uma ou mais estações de serviço, equipadas nos

termos do artigo 27.º, destinados exclusivamente ao estacionamento

e pernoita de autocaravanas por período não

superior a setenta e duas horas.

2 — As áreas de serviço que não se encontrem integradas

em parques de campismo e de caravanismo ficam

obrigadas apenas ao cumprimento do disposto nos artigos

7.º, 8.º, 10.º, n.os 1, 2, 3 e 5, 12.º, 14.º, 20.º e 24.º a 26.º

da presente portaria, com as necessárias adaptações.

3 — As áreas de serviço não integradas em parques

de campismo e de caravanismo devem dispor de serviço

de recepção presencial ou automático disponível vinte e

quatro horas por dia.



« Última modificação: 17 Nov 2008, 11:06 por Decarvalho » Registado
josé vieira
Membro de Mérito
****
Offline Offline

Sexo: Masculino
Mensagens: 248

: Nov, 2006

Sócio Nº 1228


« Responder #35 em: 21 Ago 2008, 17:00 »

Olá a todos

Possívelmente à hora que escrevo estas linhas está a decorrer a 2ª reunião do MIDAP. Faço votos para que ela seja produtiva, e consequentemente começar a formar-se uma ideia colectiva, para que o autocaravanismo seja de uma vez por todas regulamentado.
Não posso deixar no entanto de estranhar,  o silêncio, que a Direcção do CPA tem sobre a iniciativa, pois seria normal que alguém assumisse posição.
Será que estou a ser ingénuo Huh?

cumprimentos
Registado

José Graça Vieira
Constância
http://www.viajarsemdestino.blogspot.com/
nuno pires
Membro de Mérito
****
Offline Offline

Sexo: Masculino
Mensagens: 440

: Ago, 2007


Visitante Nº 1365


« Responder #34 em: 21 Ago 2008, 11:59 »

Bom dia a todos.
   Companheiro Jorge Santos, não acho normal este tipo de tratamento onde impera o total desrespeito pelos seus associados e fiel defensores como é o seu caso, pena não terem a sensibilidade nem se aperceber da gravidade da situação. Bom talvez não seja de estranha para quem nunca se importou pelo Autocaravanismo a reacção até nem é desproporcionada mas sim o continuar de uma orientação.
   Companheiro Jorge não se exclua de um grupo de trabalho que sempre o respeitou e sempre acolheu os seus ideais, o ter pensamentos diferentes ou modos diferentes de encarar as divergências nunca foi entrave para nada, todos temos a mesma paixão e todos estamos a tentar defende-la e liberta-la mas só mesmo a sua consciência é que o pode ajudar, se aparecer terei todo o gosto em cumprimenta-lo mais uma vez, se achar que somos merecedores da sua presença sabe onde e a que hora.
   Companheiro Decarvalho, agora parece que não á volta a dar, espero que amanhã a esta hora existam boas novas sobre o MIDAP, exista uma plataforma não para dividir mas sim para divergir e que defenda o Autocaravanismo e os seus fieis amantes, o mal foi começar mas tenho a consciência que é bem mais fácil desistir mas não vejo ninguém com coragem para o fazer.
   MIDAP com D de dignificação, defesa ou que sabe de divergir, libertar e afirmar uma identidade uma paixão.
Feios Porcos e maus mas DIGNOS.

   

http://nunopire.hi5.com

http://www.vivercamaroes.com/

Boa viajem e vão devagar para chegar mais cedo.
Nuno Pires
Camarões/Sintra
Registado

Nuno Pires
Sintra
Decarvalho
Visitante
« Responder #33 em: 21 Ago 2008, 10:39 »

hoje dia 21 de Agosto,
meus caros Autocaravanistas
Vamos ao trabalho?

A evolução tem de acontecer, e do Caos do início do Mundo....e do incício do boom da actividade autocaravanista há de vir a Ordem... o importante é que nao permaneça o Caos, e que a Ordem não seja discriminatoria. Ou seja, que as Trevas dêm mesmo lugar a Luz.

Não queremos todos seriamente, uma Luz que ilumine, e não que cegue?


O caminho do Autocaravanismo nao é mais do que uma espcificidade do caminho percorrido pelo automobilismo. Os AC sao automobilistas e turistas itinerantes e especiais. Quando o seu numero aumenta, com a pressao demografica dos AC, lá vem a Lei the Malthus ajudar a compreender que alguns tem de ser sacrificados, - aqueles que nao se submetem por dever de cidadania e responsabilidade cívica, a uma Ordem justa, equilibrada e social.
Ao início, os automoveis no início do século, estacionavam de qualquer modo, e em qualquer lado: en contramão, em espinha, ao longo de passeios etc, e pelo tempo que se quissesse...depois, com mais, e mais automoveis...e vem a regulamentaçao do estacionamento...depois o pagamento do estacionamento, e a proibição deste em alguns locais, a a algumas horas...depois ainda a criação de parques de estacionamento, ate subterraneos como o de AC em Monaco, os parquimetros, e ate as limitações horarias de estacionamento, e em muitos outros locais a proibição de circulação e estacionamento total em certas ruas, ou reservada so a residentes, limitaçao de circulaçao e estacionamento a matrículas pares ou impares alternadas, como em Pequim, de pagamento de portagens para entrar nas cidades como em Oslo e Londres, os reboques, e os jacarés de imobilizaçao como em Santander, etc. etc...
A estruturaçao do automobilismo em Portugal muito ficou a dever ao ACP Automovel Clube de Portugal, hoje com contornos de Federação do sector, e da sua representação Internacional. Porém em Portugal, contarriamente a Espanha e França, por exemplo, não ha estrutura similar, nem tutela pública ou privada sobre o autocaravanismo. Têm de ser os autocaravanistas ainda a dar os primeiros passos, e a auto-organizarem-se.
Todavia há que actuar com o maior realismo: nada de maximalismos, populismos ou fundamentalismos suicidas. Pelo contrário, há que em ambiente democrático criar condições de participaçao, audição e cooperação sérias. Estas só se fazem com estruturas representativas, preparadas, competentes, e que estejam em cima do acontecimento, pró activas, e não apenas reactivas, e que tomem posições construtivas de compatibilizaçao de legitimos interesses privados, no contexto da satisfação do interesse público, ajudando a definir este...
Ou seja, fazendo aquilo que é legitimo e constitucional: um lobbying democrático e participativo, ao invés de posições de mera contestação, ou de pressao...ou mesmo de revolta activa, ou passiva...
Espera-se que o MIDAP seja a plataforma para essa nova atitude, e inadiavel, pela dignificação do autocaravanismo em Portugal, e que exige, nao só a educação e formação de autocaravanistas, dos agentes e profissionais da comunicaçao social, mas tambem das autoridades, Governo, autarcas, e ainda dos demais interlocutores, como produtores e comerciantes do sector.

Daí as nossas propostas insistentes sobre:
 
- criação de um gabinete de estudos do Autocaravanismo
- estruturaçao de um Observatorio plural do Autocaravanismo
- preparaçao e realização de um Seminario sobre Autocaravanismo.
_________________
Registado
marco nuno
Visitante
« Responder #32 em: 20 Ago 2008, 16:01 »

Para quem não conseguir ler  a Noticia, eu vou transcrever o que está escrito leia aqui:

http://cpa-autocaravanas.com/forum/index.php/topic,1057.new.html#new


Abraço e claro
BOAS CURVAS
« Última modificação: 20 Ago 2008, 16:27 por marco nuno » Registado
nuno pires
Membro de Mérito
****
Offline Offline

Sexo: Masculino
Mensagens: 440

: Ago, 2007


Visitante Nº 1365


« Responder #31 em: 20 Ago 2008, 11:18 »

Noticia de hoje no Jornal o Publico, não tarda nada nem nos parques de campismo nos querem.
Parece se um movimento concertado a pedido de alguém para tentar acabar com o que ainda não começou.




Feios Porcos e Maus mas Dignos.



http://nunopire.hi5.com

http://www.vivercamaroes.com/

Boa viajem e vão devagar para chegar mais cedo.
Nuno Pires
Camarões/Sintra
« Última modificação: 21 Ago 2008, 10:43 por nuno pires » Registado

Nuno Pires
Sintra
Decarvalho
Visitante
« Responder #30 em: 20 Ago 2008, 10:26 »

Vivam Acs em ferias, ou em trabalho !

Tudo a postos para a reuniao de amanhã, dia 21:

- documentos distribuidos a todos os interessados que o solicitaram
- reconfirmaçao da agenda

Resta acrescentar que não ha duvidas por esclarecer na maioria dos participantes, dada a preparaçao da reuniao de dia 11 e o prosseguimento intenso de contactos multilaterais por mail, sms, telefonemas e posts em espcial no forum CCP.

Assim, para mim não oferece quaisquer duvidas que a reunião é legitima:

- Nada tem a ver com a Federação (de campismo) porque esta tem como interlocutores clubes, e nao individuos
- O movimento resulta do direito constitucional de individuos- cidadaos se associarem livremente, sem tutela de quaisquer hierarquias ou instituições.
- o Movimento (MIDAP) não pretende ser único, nem defender a unicidade...
- muito menos o MIDAP pretende usurpar o que quer que seja em relaçao a Clubes ou a  Federação
..................

Pretender fazer um seminario sobre autocaravanismo? nunca ninguem o fez.
Pretender criar um conselho consultivo ou observatorio? idem
Pretender ser incluido num grupo de trabalho de legislação? idem

......
Então,  que os resilentes "deixem-nos" trabalhar, e que venham mais cinco ajudar !
« Última modificação: 21 Ago 2008, 10:41 por Decarvalho » Registado
Decarvalho
Visitante
« Responder #29 em: 18 Ago 2008, 17:14 »

reconfirmada a reuniao MIDAP de dia 21 de agosto as 18.30h, mesmo local


Boas tardes a todos

Depois de avaliar a situaçao e trocas de mensagens bem como telefonemas directos, pode-se dizer que ha quorum para a reuniao de dia 21 as 18.30h

a reuniao sera coordenada por seco dos santos, que aceitou o encargo (na ausencia de JSantos)
a ana pressler assegurará gentilmente o secretariado, e ja se acha a comprar o livro de actas
Decarvalho procederá a apresentaçao dos documentos e seu esclarecimento, e que seguiram para os membros que anunciaram estar presentes na reuniao de dia 21:

- logotipo
- estatutos MIDAP
- plano, programa e accções do MIDAP 2008/2009
- projecto de comunicado

note-se que ha que se pensar na constituição da comissao instaladora

está presente a existencia do site http://www.midap.blogspot.com/
e este mail de contacto: midap.onga@gmail.com
cumprimentos a todos
Decarvalho
Registado
Decarvalho
Visitante
« Responder #28 em: 18 Ago 2008, 09:30 »

Vivam Acs, e leitores do forum

Ultimei já esta manhã, conforme assente na reuniao do dia 11 de agosto cujo resumo aqui deixei em post, os documentos necessarios para que a reuniao agendada a 21, pudesse ser plenamente conseguida, e se pudesse tomar em consciencia, as atitudes que os autocaravanistas, quer neste forum quer no forum do CPA, tem evidenciado concordar, e ate exigir, nomeadamente quanto a suspensão da portaria em estudo sobre campismo, e sobre cujo conteudo outras organizações ja entregaram atempadamente ao Governo os seus comentarios e sugestões.

Assim, tenho disponivel para envio a quem se identificar e o solicitar - e com vista a participaçao na reuniao agendada para dia 21, - e que por mim podera ter lugar ainda naquele dia, a qualquer hora, ou nos dias seguintes, ou so, tardiamente como proposto, já extemporaneamente, em setembro, as seguintes informações e documentos:

- existencia de uma sede provisoria do MIDAP, em edificio, cuja sala de condominio tem capacidade para reuniões de cerca de 30 pessoas, em Miraflores junto aos respectivos bombeiros
- existencia de um site na internet em www.midap.blogspot.com, já activo
- existencia de um e-mail dedicado midap.onga@gmail.com
- existência de um logotipo para o MIDAP, disponivel no site referido
- existencia do projecto de estatutos do MIDAP, compreendendo uma comissão instaladora (direcção) e um conselho consultivo denominado observatorio, onde teriam assento por convite, as pessoas colectivas de interesse para o sector: CPA, CCP, ACP; AECAMP; ACAP; FCPM etc etc
- existencia de um programa de actividades para 2008/2009 com o plano, programas, e acções sugeridas para o MIDAP
- existencia da ultima versao do documento base com conteudo de suporte a um pedido de entrevista as autoridades, e com um texto que serviria para se emitir o primeiro comunicado publico do MIDAP.

a minha opinião objectiva continua a ser a inicial.
Concordo a 100% com o post de 27 de Julho do Seco, no forum CCP, e com todas as msg directas que me enviaram pessoalmente, no mesmo sentido. Daí as horas de trabalho que desenvolvi para corresponder a essas expectativas
Sendo genuino, espontaneo, sério, e ate aceite pelas opiniões expressas nos foruns do CCP e do CPA, o Movimento de AC, proposto identificar-se como MIDAP, so tem a ganhar ser de imediato constituido, e iniciar a sua actividade, sem mais constrangimentos e atrasos dilatórios.
Depois se verá com que interlocutores estabece dialogo, na certeza que sempre se mencionou que todos os interlocutores publicos e privados do sector de interesse para o autocaravanismo, deveriam fazer parte do observatorio.

Porém, a maioria que se exprima, que acatarei as decisões de boamente.
Registado
JF
Visitante
« Responder #27 em: 15 Ago 2008, 21:57 »

Boa Noite

Por mim D=Desenvolvimento pelas razões aduzidas.

JF
Registado
Decarvalho
Visitante
« Responder #26 em: 15 Ago 2008, 21:19 »

Vivam Acs

embora experimental e amador...
aqui esta o site MIDAP em:

www.midap.blogspot.com
Registado
Zito
Visitante
« Responder #25 em: 15 Ago 2008, 15:01 »

Companheiros Decarvalho e Errante

Li atentamente a vossa exposição e quanto a mim não tenho qualquer reparo a fazer se na sigla MIDAP a letra  D significar Desenvolvimento, pois também subentende aquilo que o companheiro Decarvalho disse.

Independentemente do que a letra D queira vir a dizer, o que eu gostava é que as Entidades Governamentais (Câmaras Municipais, Juntas de Freguesias, etc), Federativas (FCMP e outras) e Particulares (Parques de Campismo), olhassem com olhos mais DIGNOS para o Autocaravanismo.

Renovo os desejos de bom trabalho para a jornada do dia 21 de Agosto.

Um Abraço
Zito
Registado
Decarvalho
Visitante
« Responder #24 em: 15 Ago 2008, 10:16 »

Vivam resistentes Acs
grato ao Errante por nos obrigar todos a aprofundar a reflexão...

O problema do melhor D para o MIDAP é um assunto sério.

D de defesa...pois cabe aos Clubes, caso do CPA
D de divulgação...pois cabe tambem aos clubes e vendedores...
D de dignificaçao....tem logica, e com base em outros pressupostos, a forma como o autocaravanismo ainda nao atingiu a dignidade geral por parte do seus interlocutores...certas CM; o Governo, a propria federação de Campismo, etc..ou seja, não sao os autocaravanistas que sao indignos, é o sector que tem necessidade de um upgrading na ascensaõ e reconhecimento da sua dignidade...

Mas para obviar a possiveis interpretaçoes negativas, sempre possiveis...ha um outro D, de DESENVOLVIMENTO que é possivel...

Movimento independente para o Desenvolvimento do autocaravanismo em Portugal.

E evidentemnte que a palavra Desenvolvimento desde os finais da decada de 60, em todos os manuais da OCDE (na altura) das Naçoes Unidas etc...tem um conteudo quantitativo e qualitativo...e envolve o chamado conceito dual de desenvolvimento- economico e social

Parece que assim se resolve o problema semantico, pois sem Desenvolvimento com D maisculo não havera dignificaçao possivel.

Será assim?
« Última modificação: 15 Ago 2008, 10:17 por Decarvalho » Registado
errante
Visitante
« Responder #23 em: 15 Ago 2008, 03:15 »

Caros Companheiros

Permitam-me que volte ao assunto, da sigla MIDAP, de forma de nua e crua para sublinhar o que me parece um erro de palmatória:

-  pretender Dignificar, é desde logo reconhecer que não há dignidade no autocaravanismo!
Ora a dignidade procede a prática autocaravanista, procede a existência ou não de áreas de serviço, procede a qualidade,marca e ano da autocaravana ou do auto-lixo !

Apetece-me perguntar: Quando haverá dignidade, no autocaravanismo?
Responder-me-ão o Q? - Que será com mais áreas de serviço, com mais liberdade de parqueamento,...qual é então o limite minimo necessário de conforto para haja dignidade ?

Com quantas áreas de serviço o autocaravanismo passa a ser uma forma de turismo digna?

Parece-me que não é por aí, que se acrescenta dignidade á prática!

Será então , na formação do carácter e da atitude do Ser Autocaravanista, que o MIDAP trabalhará a Dignidade ?

Dir-me-ão que também!
Seja! Mas esse é um processo endógeno, de formação,...não se reclama.

Penso que a aposta deveria fazer-se na Divulgação e Promoção do Autocaravanismo,... as virtudes , os conceitos, a filosofia, o enquadramento, as vantagens as dificuldades,...e para a divulgação e partilha dessa ideia de turismo, reclamar-se-iam então as condições logísticas.
´
Não me parece consistente  pedir sem ter nada para dar em troca!

Não "roubem" quem pratica o autocaravanismo, também como expressão social de maior dignidade .

Bom trabalho a 21.


Errante, algures em terras de França.







 
« Última modificação: 15 Ago 2008, 03:19 por errante » Registado
Decarvalho
Visitante
« Responder #22 em: 14 Ago 2008, 23:45 »

Vivam amigos ACS e apoiantes do MIDAP...
Graças ao porfiado esforço do nosso companheiro autocaravanista Marco Nuno (OBRIGADO )ja temos propostas de logotipo para o

Movimento Independente para a Dignificaçao do Autocaravanismo em Portugal

o MIDAP alem de ganhar conteudo, esta a ganhar forma, e pelas adesões recebidas esta a consolidar substracto humano de qualidade.

Bem hajam todos os que assim pensam!
Espera-se que no dia 21 se consiga de vez avançar com esta ideia e projecto para dotar todos os que acreditam no sector do autocaravanismo de um instrumento que possa alavancar as nossas propostas junto de quem de direito !


* midap3.JPG (22.15 Kb, 426x346 - visto 319 vezes.)
« Última modificação: 14 Ago 2008, 23:56 por Decarvalho » Registado
Páginas: 1 [2] 3   Ir para o topo
Imprimir
 
Ir para: