Forum Autocaravanismo-CPA

INFORMAÇÕES => A AUTOCARAVANA => Tópico iniciado por: Viajante em 16 Nov 2011, 23:49



Título: ACREDITE SE QUISER - Baterias em paralelo
Enviado por: Viajante em 16 Nov 2011, 23:49


ACREDITE SE QUISER – Baterias em paralelo

O Manuel e o Joaquim, dois facínoras mais malandros que facadas, eram gémeos siameses que cumpriam pena de prisão perpétua em Alcatraz, acorrentados um ao outro. Um dia decidiram fugir a nado e, se bem o pensaram, logo o fizeram. Com braçadas perfeitamente sincronizadas chegaram a meio da baía, mas eis que o Manuel tem uma cãibra. Acabou logo ali a sorte do Joaquim que não teve outro remédio senão segurar o Manuel com um braço e nadar com o outro. Rapidamente esgotou as forças e assim ambos foram direitinhos para o fundo. Se não estivessem acorrentados um ao outro, quem sabe….

O mesmo se passa com as baterias amarradas uma á outra, isto é, em paralelo. Imediatamente após a colocação em serviço, as duas baterias começam logo a divergir e a velocidade com que divergem é tanto maior quanto mais uso vão tendo, mas tal não é perceptível porque é uma “guerra intestina” entre duas baterias e nenhuma delas grita ou pede socorro.
Quando uma delas fraqueja, a que está em bom estado rapidamente entra num processo de autodestruição por despejar continuamente energia para a mais fraca e que é totalmente desperdiçada. Assim, pode dizer-se que:

•   Uma bateria boa + uma bateria fraca = a duas baterias fracas.
•   Uma bateria carregada + uma bateria morta = duas baterias mortas.

A colocação de baterias em paralelo é de tal modo corrente que poderá parecer inútil esta abordagem. Saiba, no entanto, que ter baterias em paralelo é como circular sem seguro. O mais provável é que tenha sorte e nunca bata, mas também pode acontecer que não tenha. Se uma das duas baterias se vai abaixo, vai ficar sem nenhuma e sem energia e, geralmente, não há aviso prévio.
Então como fazer correctamente para aumentarmos a autonomia de energia eléctrica com recurso a duas baterias? Há três modos possíveis:

Modo automático – Recorre à tecnologia mais moderna de isolamento de baterias através de Repartidores de Carga (1) de tecnologia Mosfet (2). Todas as baterias são carregadas em simultâneo e sem que estejam interligadas, permitindo assim o uso de baterias de diferentes idades, de diferentes capacidades e de diferentes tecnologias (Ácido, GEL, AGM). Os Repartidores de Carga reconhecem automaticamente as características das baterias a que estão ligados, ajustando automaticamente a tensão de carga e carregando em primeiro lugar a bateria mais fraca. Usando um Repartidor de Carga com uma entrada e duas saídas, entre as fontes de energia e as baterias, e outro Repartidor de Carga com duas entradas e uma saída, entre as baterias e o consumo, temos as duas baterias simultaneamente em serviço (carregam e descarregam todas em simultâneo), mas sem que estejam interligadas, impedindo assim que uma bateria descarregue sobre a outra quando começam a divergir (ver fig. 1)

Este sistema (Modo automático) pode ser considerado um preciosismo. É bastante dispendioso e na minha óptica, injustificável.

Modo semiautomático – É usado um Repartidor de Carga entre as fontes de energia e as baterias, permitindo que todas as baterias sejam carregadas em simultâneo. O uso de dois Corta Corrente, permite a escolha da bateria de serviço e, por exclusão de partes, a de reserva. Estando os dois Corta Corrente ligados, as baterias ficam em paralelo na descarga, o que só deve ser feito por muito breves momentos quando se pretenda alternar as baterias, ou seja pôr a de reserva em serviço e vice versa. Convém ir alternando as baterias com certa periodicidade para provocar o envelhecimento simultâneo (ver fig. 2)

Este sistema (Modo semiautomático) é correntemente usado nos meios náuticos, mas ainda é caro.

 Modo manual – Resolve-se com o recurso a selectores electromecânicos à venda nas casas de artigos náuticos ou, melhor ainda, recorrendo aos banais Corta Corrente à venda nas casas de acessórios de automóvel. São baratos e fiáveis.

Neste modo, o autocaravanista tem que gerir tudo, mas engana-se se pensa que é muito trabalhoso. Vamos partir da situação de baterias à carga. Quando as baterias estão à carga, haja ou não consumo em simultâneo, os dois corta corrente podem estar ligados (as baterias ficam interligadas em paralelo) porque, na carga, as baterias nunca descarregam uma sobre a outra.
Concluída a carga, só um dos dois corta corrente deve ficar ligado, o da bateria de serviço. Quando a bateria de serviço estiver prestes a esgotar, ligue o corta corrente da bateria de reserva e desligue de imediato o da bateria que estava em serviço. É simples, barato e fiável. É o que eu uso.

Pôr as baterias em paralelo é como pôr todos os ovos no mesmo cesto. ACREDITE SE QUISER.

(http://3.bp.blogspot.com/-Cf17Jx15Huk/TsGBWGGFTEI/AAAAAAAAIk0/yeHkGn9qpNU/s1600/Baterias+em+paralelo.jpg)

Viajante


(1) Repartidor de Carga também designado por Isolador de baterias, Repartiteur de Charge, Mosfet Battery Splitter. Não confundir com acoplador de baterias ou acoplador/separador de baterias que são sistemas baratos mas pouco fiáveis.

(2) Mosfet – Acrónimo Inglês de Metal Oxide Semiconductor Field Efect Transistor, correntemente designado por Transístor de Efeito de Campo. Um Mosfet comporta-se como se fosse um interruptor de baixas perdas e só deixa passar a corrente num sentido.
Saber mais: http://pt.wikipedia.org/wiki/MOSFET

Fabricantes:
http://www.cristec.fr/
http://www.seatronic.fr/recharge-moteur-repartiteur-c-44_117.html
http://www.sterling-power.com             
 www.buettner-elektronik.de           
 www.votronic.de


Título: Re:ACREDITE SE QUISER - Baterias em paralelo
Enviado por: Lucas DaSilva em 17 Nov 2011, 19:52
Olá,

Depois de ler atentamente o excelente trabalho apresentado pelo amigo autocaravanista Viajante  posso dizer que fiquei, sem dúvida,  mais  esclarecido pelos elementos técnicos  que deixou no Fórum.

Fica o meu obrigado.


Título: Re:ACREDITE SE QUISER - Baterias em paralelo
Enviado por: Peter em 18 Nov 2011, 23:41
Faço minhas as palavras do Lucas da Silva (com sua licença)  ;D

Agradeço ao amigo Viajante o interessante artigo e posso-lhe dizer que fiquei bastante esclarecido.

Bem haja.

Cumprimentos.